O tempo escorre;

O tesão se edifica;

Não da para esperar mais;

Oceano, a boca me engole;

A língua explora.

O desejo, quase uma dor;

Necessidade sem pudor;

Com pressa me bolina;

A vontade invade em ondas

Debruçada no balcão, arregaça minha saia;

Suas calças arriadas;

Devora-me, tome posse, fruta úmida.

Arrebatada, vou ao ápice.

Rega-me com sua seiva.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s